Veja fotos socioambientais feitas em Maracaju - MS

A Samorano realizou diagnóstico socioambiental no município de Maracaju, localizado no estado de Mato Grosso do Sul, veja algumas fotos de Maracaju no link abaixo e conheça mais a respeito das estruturas econômicas presentes neste município.

http://www.samorano.com.br/fotos/fotos-do-eia-feito-em-maracaju-ms-para-a-bbca

BBCA Brazil vai abrir indústria de processamento de milho em Maracaju-MS


A Samorano Consultoria Ambiental está realizando procedimento de licenciamento ambiental de uma Indústria que será instalada no município de Maracaju - MS e utilizará o milho para fabricar produtos, o estudo está disponível para a população ler no endereço do IMASUL: 
 http://www.imasul.ms.gov.br/controle/ShowFile.php?id=147657

Será realizada a audiência pública com a população de Maracaju e é um evento que todos podem participar.  Segundo o portal eletrônico do IMASUL a audiência pública está prevista na legislação ambiental como uma forma de promover a participação da comunidade nas decisões sobre o licenciamento ambiental. Sua finalidade é expor o empreendimento em análise e os estudos ambientais para a população, respondendo suas dúvidas e recolhendo críticas, opiniões e sugestões a respeito. Essas informações servem como subsídio para a análise do processo. 

Você compraria uma bijuteria sabendo que ela contém um metal extremamente tóxico, que pode fazer mal à saúde? Você usaria tranquilamente esse produto?

Uma reportagem exibida no programa Fantástico dia 17/11/2013, relatou que bijuteria apreendidas vindas da China possui um alto teor de Cádmio.

Mas o que é o Cádmio ??

cádmio é um subproduto da mineração do zinco, é um metal raro que é mais facilmente encontrado em ambientes aquáticos (águas de superfícies subterrâneas), e possui a propriedade de ser insolúvel, por isso se acumula nas gramíneas, em aves, gado, cavalos e na vida selvagem.

Já foi usado como amálgama por dentistas, atualmente tem aplicação em baterias (cádmio-níquel) de celulares e em pilhas recarregáveis.

O cádmio foi considerado metal pesado através de estudos que avaliaram a sua concentração em verduras plantadas, utilizando adubo proveniente da compostagem de lixo orgânico. Os resultados revelaram que as hortaliças continham níveis de cádmio que representavam riscos à saúde.

A acumulação de cádmio no organismo acarreta vários problemas de saúde como a doença “Itai-Itai”. Essa doença produz problemas no metabolismo, gerando complicações: descalcificações, reumatismos. Efeitos mais graves são decorrentes da alta concentração de cádmio, que destrói o tecido testicular e as hemácias sanguíneas.

O cádmio foi considerado carcinogênico e seu acúmulo no organismo ainda é responsável pelo desenvolvimento de hipertensão e doenças do coração, ele está em mariscos, ostras e peixes de água salgada, alguns tipos de chá e na fumaça do cigarro e podem
ser absorvido pela pele. 

 “Existe absorção dérmica, absorção através da pele e, uma vez que essa substância é absorvida, penetra no nosso organismo e exerce seus efeitos tóxicos. O cádmio se acumula no rim, por isso que o rim é o órgão mais afetado. E a quantidade que é eliminada é cem vezes menor que a quantidade que é absorvida”, explica o toxicologista Nancy Barbi.

O organismo humano acumula cádmio, e aos 50 anos o homem pode estar com uma carga de 20 a 30 mg, concentrando-se nos rins e paredes das artérias.

Ultimamente, a grande preocupação com relação à poluição ambiental é resultante do descarte de baterias de telefones celulares e pilhas elétricas que contém os metais tóxicos níquel e cádmio.

Leia a Reportagem em: http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2013/11/laudo-alerta-para-alta-concentracao-de-substancia-toxica-em-bijuterias.html